Mobilidade para quê?

Um bolo com 500 velinhas para Chevrolet

Montadora que acabou virando sinônimo de Stock Car é maior apoiadora da categoria

2 minutos, 59 segundos de leitura

15/09/2021

Por: Alan Magalhães

Chevrolet Cruze é o atual campeão na Stock Car Pro Series. Foto: Duda Bairros

A “certidão de nascimento” da Stock Car aponta 22 de abril de 1979 como o dia em que a categoria surgiu, tendo como “maternidade” o ainda jovem Autódromo de Tarumã, na Grande Porto Alegre. Não está errado, mas há quem discorde, e com propriedade.

Reynaldo Campello, 76 anos, ex-piloto com 69 corridas disputadas na Stock Car, era concessionário Chevrolet nos anos 1970, garante, em tom de brincadeira, que a Stock nasceu mesmo no dia 26 de agosto de 1974, quando dois de seus quatro Opala que disputavam a prova 25 Horas de Interlagos venceram a prova com uma dobradinha, batendo os dominantes Maverick da época.

“Eu dirigia a concessionária Itacolomy e, no manual de operação que a GM nos fornecia, havia um X vermelho, enorme, avisando que era terminantemente proibido apoiar ou participar de automobilismo”, conta Campello.“Não quis nem saber: preparei os carros e venci a prova com meus convidados Wilsinho Fittipaldi, com duas temporadas na equipe Brabham de F1, e Ingo Hoffmann, que fazia sua primeira prova com Opala”, afirma, lembrando de como mostrou à montadora as vantagens de se aliar ao esporte por aqui.

Campello foi também um dos principais responsáveis por colocar a categoria na televisão, ao vivo, em 1980, através da Rede Bandeirantes de Televisão, tornando-se, inclusive, diretor de esportes da emissora. E, assim, aproveitou para organizar duas etapas da em Portugal, no circuito do Estoril, em 1982, ambas vencidas pelo tetracampeão Paulo Gomes e televisionadas, ao vivo, para o Brasil.

O sucesso nas pistas fez com que a montadora decidisse criar sua própria categoria, apenas com o modelo Opala, dando início a uma história de sucesso e desenvolvimento de produtos que favorecem o consumidor final e os fãs do automobilismo. Desde o Opala, passando por Omega, Vectra, Astra, Sonic e Cruze, a linhagem da Chevrolet na Stock Car Pro Series é longa e repleta de conquistas, naquele que acabou sendo o mais longevo campeonato do automobilismo brasileiro. Quarenta e dois anos depois, a marca continua sua participação com o Cruze, carro que é o atual campeão da Stock Car Pro Series, com o piloto Ricardo Maurício.

OFERTAS 0KM

500 largadas

No próximo domingo (19), em Goiânia (GO), a Chevrolet comemorará 500 largadas que reúne estrelas internacionais e os principais pilotos brasileiros. Com seis modelos diferentes, a Chevrolet venceu 32 dos 42 títulos colocados em disputa até 2020.

“A marca ajudou a escrever o principal capítulo do automobilismo brasileiro, que é a trajetória da Stock Car. Sem a Chevrolet, não teríamos a Stock como ela é hoje. Fãs e profissionais brasileiros devem muito a ela”, resume Fernando Julianelli, CEO da Vicar, empresa promotora da categoria.

O reinado do Opala durou até 1993, considerando quatro anos nos quais foi a base para o Protótipo Opala (confira ao lado). O próximo modelo a ingressar na Stock Car foi o Omega, grande sucesso da Chevrolet, que permaneceu como carro-base de 1994 a 1999.

A seguir, veio o Vectra, sensação em dois períodos: de 2000 a 2003 e, depois, de 2009 a 2011. Ao todo, o modelo competiu, na Stock Car Pro Series, por sete temporadas, sendo o segundo mais longevo da história da categoria.
Entre as duas fases do Vectra, o Astra disputou e venceu corridas de 2004 a 2008.

O Sonic entrou na pista entre 2012 e 2015, sendo substituído pelo atual campeão, o Cruze, a partir de 2016. Ao final de 2022, o Cruze empatará com o Vectra como o segundo modelo mais utilizado na Stock Car, com 7 temporadas, perdendo apenas para o fundador da categoria, o Opala, que soma 12 campeonatos.
Cris, fazer uma tabelinha

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login