Buscando sugestões para:


Patrocinados

Stock Car: final de semana insano no Rio Grande do Sul

Acidentes, incidentes, penalizações e vencedor inédito

4 minutos, 14 segundos de leitura

06/07/2022

Por: Alan Magalhães

Gaetano Di Mauro vence, pela primeira vez, a Stock Car. Foto: Duda Bairros e Marcelo Machado de Melo

O circuito de 2.278 metros do Autódromo Internacional do Velopark, localizado em Nova Santa Rita, região metropolitana de Porto Alegre (RS), nunca foi citado como o predileto pela maioria dos pilotos. O complexo nasceu, em 2008, fruto do empreendedorismo de Felipe Johannpeter, que era piloto de kart e arrancada, e arrendatário do kartódromo de Tarumã, também no Rio Grande do Sul. A ideia era construir um complexo completo, que atendesse não apenas às corridas, mas que também entregasse experiências temáticas diferenciadas a seus visitantes.

Porém, esse conceito multiuso acabou se mostrando ideal para as provas de arrancada, já que tem uma pista com medidas oficiais para tal, enquanto o traçado para automobilismo nascia com um desenho simples – basicamente, duas retas ligadas por curvas de baixa velocidade – e 2.086 metros. De cara, percebeu-se que algo deveria ser feito para melhorar as condições para competição. A partir de 2011, o traçado passou aos atuais 2.278 metros, com a adição de uma chicana, no final da reta principal, para evitar a enorme quantidade de acidentes que ocorria naquele ponto, principalmente, por se tratar de uma das mais estreitas pistas do calendário.

Desde a primeira aparição da Stock Car no Velopark, em 2010, já foram disputadas 22 provas da categoria por lá, contando com as quatro no último final de semana, que tiveram muita ação e resultados surpreendentes.

Sábado quente, domingo caótico

Com quatro etapas programadas para o mesmo final de semana, no sábado, tudo parecia correr de acordo com o script, quando os 34 carros foram à pista para disputar duas provas de altíssima intensidade, que culminaram com a vitória de Gabriel Casagrande, na Corrida 1, a 90ª prova da Stock Car em terras gaúchas, que garantiu uma vantagem ainda maior, na tabela, ao paranaense. Nelsinho Piquet triunfou, na Corrida 2, e subiu, pela segunda vez, no topo do pódio da Stock Car. Casagrande foi o maior pontuador da etapa, com 45 tentos, no dia.

Mas ainda havia o domingo e suas surpresas. Gaetano Di Mauro venceu, enquanto Bruno Baptista faturou a Corrida 2, em dia de fortes emoções. O frio e a forte chuva, que desabou desde o começo da manhã, mexeram com o destino dos pilotos desde a classificação, gerando duas corridas verdadeiramente malucas e carregadas de emoção, da largada à bandeirada. Dois dias após completar 25 anos, Di Mauro triunfou, pela primeira vez, na Stock Car, ao cruzar a linha de chegada na frente, na Corrida 1, enquanto Bruno Baptista, com o Toyota Corolla da RCM Motorsport, segurou a pressão do argentino Matías Rossi, em ótima fase, com três pódios no Velopark, para conquistar sua terceira vitória na categoria, na segunda prova do dia.

Um dia depois de Gabriel Casagrande abrir 18 pontos na liderança do campeonato, o jogo virou, novamente, a favor de Daniel Serra, que assumiu a liderança. Enquanto o atual campeão sofreu um duro revés e abandonou as duas corridas do domingo, o tricampeão somou pontos importantes, com o 4º lugar, na Corrida 1, e o 11º, na segunda prova da tarde. Dessa forma, Serrinha encerrou a primeira metade da temporada como líder, e soma, agora, 184 pontos, 11 a mais do que Casagrande.

“É um sentimento bom por estar de volta à liderança. A corrida foi muito maluca, com momentos em que estávamos mal e outros em que estivemos bem e conseguimos voltar à estratégia. Infelizmente, era para ter marcado mais pontos na Corrida 2. Sofri um toque e caí de 4º para 13º. Salvamos pontos e voltamos à liderança”, declarou o novo líder do campeonato.

A próxima etapa da Stock Car acontecerá no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), no dia 31, prova que abre a segunda metade da temporada. A venda de ingressos já começou e pode ser acessada no endereço www.stockproseries.com.br.

Disputas quentes demais?

Pista estreita, molhada, com retas longas e freadas fortes. Os ingredientes estavam ali. Toques acidentais, outros propositais, os ânimos estavam acirrados no Velopark. Já no sábado, Gaetano Di Mauro excedeu a velocidade no pit stop, e foi punido pelos comissários. Recorreu, e perdeu. Com Pedro Cardoso, excesso no pit lane. Também no sábado, mas já na corrida, Felipe Massa foi advertido por incidente com Sergio Jimenez, e recebeu acréscimo de 3 pontos na sua cédula desportiva.

Daniel Serra
Daniel Serra reassumiu a liderança, após as etapas do Velopark. Foto: Duda Bairros e Marcelo Machado de Melo

No domingo, Ricardo Zonta foi desclassificado da prova 1 por abastecimento de combustível antes da abertura de boxe, Ricardo Maurício também foi desclassificado da prova 1 por incidente com Lucas Foresti, Beto Monteiro teve 20s acrescidos, na prova 1, por toque em Tuca Antoniazzi. Júlio Campos “ganhou” 20s, no seu tempo total, na prova 2, por acidente com Daniel Serra. Tony Kanaan foi desclassificado da prova 2 por incidente com Felipe Baptista, que mais parecia prova de demolição. E, por fim, Felipe Lapenna foi “premiado” com 20s por incidente com Julio Campos.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login