Connected Smart Cities

Pagamento por aproximação é tendência na mobilidade urbana

Tecnologia simplifica acesso a transporte público, o que permite maior facilidade aos passageiros

2 minutos, 37 segundos de leitura

29/06/2021

O sistema está em funcionamento no Metrô do Rio de Janeiro desde 2019. Foto: Divulgação MetrôRio

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, a maneira de se locomover pelas cidades está cada vez mais inteligente e conectada. A evolução dos métodos de pagamento proporciona maior praticidade aos passageiros, melhorando a qualidade dos deslocamentos: o pagamento por aproximação por cartões bancários é uma tendência para poupar tempo, aumentando a fluidez no embarque, a conveniência e a segurança.  A solução global Visa Secure Access Module (VSAM), exemplo de como a unificação dos métodos de pagamento é benéfica para os sistemas de transporte, que já está em prática no Metrô do Rio de Janeiro, aceita o pagamento do bilhete de qualquer celular, cartão de crédito ou relógio que conte com a tecnologia NFC. A capital fluminense foi a primeira a utilizar essa solução de pagamento por aproximação no Metrô, bastando aproximar o cartão de crédito na catraca habilitada para ter o acesso liberado.

De acordo com Guilherme Ramalho, presidente do MetrôRio, “as novas tecnologias de pagamento permitem aos clientes melhor experiência, simplificando o uso do transporte e trazendo novas alternativas”. Além do Metrô da cidade, existem trens e barcas que já fazem uso do serviço, sendo que diversas smart cities do mundo, como Nova York, Londres e Cingapura, já utilizam o sistema.

A partir do dia 6 de julho, a Plataforma Connected Smart Cities & Mobility, em parceria com a Visa, irá debater a implementação de métodos de pagamentos entre empresas de transportes urbanos, instituições bancárias, gestores de arrecadação em praças de pedágio e secretarias municipais de transporte. Segundo Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility, “discutir mobilidade urbana é essencial para a criação de cidades mais inteligentes e conectadas”.

Pagamento por aproximação

“Permitir que os passageiros possam escolher como pagar pela tarifa, simplificando o acesso, é essencial para incentivar as pessoas para que escolham o transporte público. Se o trabalhador vai sair cedo para o serviço e lembra que o Bilhete Único está sem carga e pensa na fila de recarga ou para comprar a passagem, ele, naturalmente, vai optar pelo transporte individual, aumentando o tráfego nas cidades e a poluição. Pensar em mobilidade urbana é encontrar estratégias para tornar o transporte público mais atraente, garantindo a construção de cidades mais sustentáveis”, ressalta Paula Faria.

Ainda, o pagamento por aproximação assumiu um papel preventivo durante a pandemia da covid-19, evitando o contato com superfícies. De acordo com a Visa, 42% dos passageiros que utilizam a funcionalidade nas catracas das estações empregaram o serviço mais de cinco vezes nos 90 dias seguintes, dado que, após o primeiro uso, nove em dez passageiros continuaram utilizando o pagamento por aproximação em suas viagens.
O tema está no contexto do Connected Smart Cities & Mobility 2021 nacional, que acontece em setembro. Para a participação da série, é necessária a inscrição prévia pela plataforma evento.connectedsmartcities.com.br. Os inscritos receberão um link no e-mail para a transmissão ao vivo.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login