Meios de transporte

Cicloturismo: como se preparar para viajar de bicicleta

Seja para quem quer se exercitar, poupar dinheiro ou cuidar do planeta, a bike é perfeita para cair na estrada

4 minutos, 12 segundos de leitura

22/11/2021

Por: Redação Mobilidade

cicloturismo
Ao mapear o percurso, o cicloturista conhece o tipo de estrada por onde passará. Foto: Getty Images

Vontade de pegar a bicicleta e sair pedalando por aí? O cicloturismo é a prática de percorrer longas distâncias em cima de uma bike. Possibilita praticar exercício conhecendo novos lugares, culturas e pessoas. Sem contar que é uma forma mais econômica e sustentável de viajar. 

Praticar cicloturismo exige além de preparo físico, um bom planejamento, principalmente de quem deseja pegar a estrada sozinho. Veja nossas dicas para se preparar.

Rota: o começo de tudo 

Ao mapear o percurso, o cicloturista conhece o tipo de estrada por onde passará e quantidade de dias que durará a viagem. Essas informações são determinantes para definir praticamente tudo, como preparo da bicicleta, quantidade de paradas, condições climáticas do local – para não ser surpreendido com um temporal no caminho, reservas de estadia e alimentação.

A definição da rota também é importante para evitar locais perigosos. A recomendação geral é evitar, quando possível, autoestradas e avenidas, e priorizar estradas afastadas de terra e asfalto. 

Alguns tipos de rotas ajudam a definir o percurso: 

Rotas circulares

Saem de um lugar e voltam para o mesmo ponto. São mais fáceis de planejar e executar, porque o local de destino é o mesmo do ponto de saída. 

Rotas lineares

Saem de um lugar para outro (de um ponto A até um ponto B). Oferecem a possibilidade de explorar mais lugares. 

Rotas de cicloturismo preestabelecidas 

Há também a opção de seguir as rotas de cicloturismo prontas, que geralmente percorrem trajetos de interesse histórico ou religioso, por exemplo.

Essas rotas surgiram a partir dos roteiros de peregrinação, como o Caminho da Fé e o Caminho da Luz, definidos para viagens a pé para locais de turismo religioso. Cicloturistas começaram a utilizá-los durante os anos 2000. Como as rotas preestabelecidas já estão com trajeto todo mapeado, são indicadas para quem está iniciando no cicloturismo. 

Rotas Originais 

Já se você tem experiência em cicloturismo, pode arriscar criar percursos do zero para desbravar uma região específica com seu próprio olhar, fugindo da perspectiva de outras pessoas ou de instituições. Alguns aplicativos podem ajudar a construir sua rota, como é o caso do Komoot, disponível em versão gratuita para baixar.  

Qual bicicleta usar no cicloturismo? 

A escolha da bicicleta depende muito da rota a ser percorrida. A melhor delas será a que proporcionar mais conforto – indispensável para pedalar durante horas – e tiver mais resistência. 

Quanto ao modelo, a mountain bike pode ser uma opção interessante para quem está começando ou busca por versatilidade, já que se adapta bem a todos os tipos de terrenos, desde asfalto a lama.    

No mais, é importante que a bicicleta seja equipada com sinalização para a circulação segura no trânsito. 

O que vai na bagagem? 

O que levar em uma viagem de cicloturismo depende de vários fatores, como condições climáticas e tempo na estrada. Alguns equipamentos são indispensáveis para praticar cicloturismo com segurança e bem-estar: capacete de ciclismo, luvas para proteger as mãos do atrito com o guidão, camiseta ou colete de ciclismo refletiva, lanterna, ferramentas para manutenção e ajuste da bicicleta, kits de reparos específicos para câmaras de ar e mochila de hidratação. 

Como levar

A bicicleta também deve ser adaptada para receber a bagagem. Existem algumas opções: 

Alforjes: bolsas presas aos bagageiros traseiros, que também podem ser colocados na parte frontal da bike, distribuindo melhor o peso. 

Bikepacking: mais práticas, não exigem bagageiros, são bolsas presas diretamente na bike. A vantagem é que são mais leves e compatíveis com qualquer bicicleta. 

Trailers: interessantes para levar bagagens maiores em viagens de longa duração, é um carrinho encaixado atrás da bike. A desvantagem é que esse equipamento limita pedalar em trilhas.

Onde ficar? 

Em grande parte dos hotéis, pousadas, albergues e outras acomodações tradicionais é possível o cicloturista se hospedar sem pagar taxas a mais. Mas basta uma pequena pesquisa na internet para encontrar aquelas voltadas a grupos que praticam cicloturismo, interessantes para quem deseja fazer mais amigos durante a viagem. 

Outra possibilidade é acampar, o que permite uma experiência ainda mais completa para quem viaja de bike. Mas, para isso, não basta apenas levar na bagagem barraca, saco de dormir e outros itens para ter sua hospedagem em qualquer lugar. É importante definir os locais em que ficará, para garantir que sejam seguros e livres de problemas com reservas ecológicas ou propriedades rurais. 

A dica é conferir os pontos em que vai passar e entrar em contato com donos de propriedades e sítios para pedir a autorização antes de se instalar. Também dá para facilitar e ficar em pesqueiros e campings privados, que oferecem melhor estrutura, como chuveiro, eletricidade e internet. 

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login