Connected Smart Cities

Cidades, Café & Prosa discute desenvolvimento pós-pandemia

Iniciativa busca refletir sobre cenário econômico e promover cidades mais inteligentes e sustentáveis

2 minutos, 36 segundos de leitura

07/07/2021

Um dos objetivos da iniciativa é repensar o planejamento urbano e criar cidades mais conectadas. Foto: Getty Images

A pandemia da covid-19 mudou drasticamente as cidades ao impactar diretamente a maneira como se circula pelo espaço urbano. Nesse sentido, nunca foi tão importante conceber os problemas que afligem a sociedade, considerando as diversas maneiras de administrar e solucionar essas questões: as cidades, como organismos complexos, devem desenvolver, na sua gestão urbana, princípios que se aliem à sustentabilidade, que promovam o desenvolvimento mais inteligente e acessível.

A Necta, empresa realizadora do Connected Smart Cities & Mobility, em parceria com a B3 e Portugal Ribeiro Advogados, realiza, a partir do próximo dia 9 de julho, a série temática de entrevistas com o programa Cidades, Café & Prosa, em formato 100% online, transmitido pelas redes sociais do Connected Smart Cities & Mobility. A fim de reunir governadores e prefeitos, a fim de refletir sobre o cenário econômico para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura urbana, o primeiro encontro irá debater finanças municipais e estaduais, objetivos de desenvolvimento sustentável e ESG (conjunto de práticas ambientais, sociais e de governança, realizadas por empresas privadas).

Segundo Maurício Portugal, sócio da Portugal Ribeiro Advogados, “os encontros do Cidades Café & Prosa serão centrais para mapear o que os principais governadores e prefeitos pretendem fazer no em mobilidade, saneamento e outros setores de infraestrutura”. A iniciativa irá abordar como retomar o desenvolvimento sustentável, como a resiliência será trabalhada com base nessa experiência e como a pandemia acelerou o governo digital.

Planejamento urbano

A construção desses debates em cidades facilita o planejamento urbano e resulta em diminuição de custos e aumento na eficiência dos serviços. O urbanismo sustentável não tem como objetivo propor uma freada na expansão das cidades, mas desenvolver espaços baseados em alternativas tecnológicas e eficientes, que, além de buscarem não destruir ou esgotar os recursos ecológicos, promovam uma gestão inteligente, acessível e a promoção da diversidade.

Uma cidade inteligente envolve recursos tecnológicos, institucionais e humanos. De acordo com Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities, “a tecnologia pode ser elemento essencial na gestão das cidades, facilitando o planejamento urbano, aproveitando melhor os recursos públicos e gerando uma melhor qualidade de vida aos cidadãos. Apesar disso, não basta apenas investir em tecnologia: é preciso entender os problemas e, de forma colaborativa, compartilhar as soluções inteligentes”.

“O encontro Cidades, Café & Prosa foi criado justamente para ser um espaço de troca de informações e difusão de ideias entre governo, entidades e empresas, com o objetivo em que, juntos, os atores dos ecossistemas de cidades e mobilidade urbana possam atender às necessidades do cidadão consciente, por meio de ações que, efetivamente, tornem as cidades brasileiras mais inteligentes e conectadas e, ainda, fomentam pautas sobre cenários que gerem impacto nos municípios, na economia e, consequentemente, na vida da população”, ressalta Faria.

O tema está no contexto do evento nacional Connected Smart Cities & Mobility 2021, que acontece em setembro. 

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login